orientação – pós-graduação

 

Processo seletivo para a pós-graduação (mestrado e doutorado) na Faculdade de Direito da USP – 2018/2019

Os professores Conrado Hübner Mendes, Marcos Paulo Verissimo e Virgílio Afonso da Silva realizam um processo seletivo unificado para a pós-graduação na Faculdade de Direito da USP. Como a Comissão de Pós-Graduação da Faculdade de Direito exige a indicação de apenas um professor, solicitamos aos candidatos e candidatas que, neste ano de 2018, indiquem o professor Marcos Paulo Verissimo. Essa inscrição será considerada como sendo para o processo seletivo dos três professores. Pedimos para que não indiquem nem o professor Virgílio Afonso da Silva nem o professor Conrado Hübner Mendes. Aqueles que forem aprovados nesse processo conjunto terão posteriormente sua orientação atribuída a qualquer dos três professores, a exclusivo critério destes.

Abaixo seguem algumas informações sobre o processo de seleção de mestrado, doutorado, tese de láurea e iniciação científica.

  1. Embora o mestrado e o doutorado sejam encarados, cada vez mais, como um mero complemento à graduação e sejam usados, muitas vezes, como simples forma de melhorar o currículo, nossa forma de seleção continua a dar preferência a candidatos e candidatas com perfil acadêmico e real disposição para a pesquisa.
    Além disso, nem o mestrado nem o doutorado devem ser encarados como uma forma de satisfazer uma eventual necessidade de “volta aos estudos” ou “volta aos bancos universitários”.
    Por isso, desencorajamos todos aqueles que pretendam se candidatar a uma vaga no curso de pós-graduação por um desses dois motivos a tentar a seleção sob nossa orientação.
    Aqueles que, no entanto, possuem (pelo menos também) perfil acadêmico e disposição para a pesquisa e pretendem se candidatar a uma vaga sob nossa orientação devem atentar a alguns pontos essenciais do processo de seleção:
  2. É fundamental o domínio da língua inglesa, demonstrado em prova de proficiência da Faculdade de Direito da USP ou equivalente.
  3. É recomendado o domínio de outros idiomas.
  4. Damos preferência a candidatas e candidatos que pretendam se dedicar à pesquisa em tempo integral (com bolsa). Isso não exclui a possibilidade de seleção de pessoas que tenham outra ocupação profissional, mas cria uma relação de preferência nos casos de projetos de igual qualidade. Isso significa, portanto, que se seu projeto é de fato de boa qualidade, você tem grandes chances. Se não é, não há dedicação integral que resolva.
  5. Não entenda o requisito geral de aderência às linhas de pesquisa dos orientadores como um incentivo a fazer uma pesquisa sobre as mesmas coisas que eles já escreveram. Em termos bastante diretos: a chance de nós nos interessarmos por um projeto que diz as mesmas coisas que nós já dissemos (ou coisas muito semelhantes) é bem menor do que a chance de nós gostarmos de um projeto que proponha algo diferente. Tenha coragem, evite a mesmice!
  6. Ao elaborar seu projeto, a candidata ou candidato deve seguir algumas diretrizes (veja, no final desta página, o tópico dedicado à elaboração de projetos de pesquisa).
  7. Damos preferência a candidatos e candidatas que tenham alguma experiência em pesquisa acadêmica (no caso do mestrado, a quem tenha feito iniciação científica; no caso do doutorado, a quem já tenha feito mestrado).
  8. Damos preferência, por fim, a candidatas ou candidatos que tenham como objeto de pesquisa temas ainda não explorados da constituição ou debates ainda incipientes na teoria constitucional brasileira (ver tópico 4).
  9. Por favor, não envie cartas de recomendação. Tampouco peça para aquele professor ou professora informalmente conversar conosco a seu respeito.

Se ainda tiver alguma dúvida, entre em contato por meio deste formulário. Responderemos a todas as dúvidas (sabemos o quanto esse momento de escolha suscita dúvidas e dilemas). Apenas não lemos projetos para dizer se estão bons ou não. Trata-se de um processo seletivo e não podemos ajudar ninguém a fazer seu próprio projeto.

A seleção será decidida em entrevista individual, na qual serão discutidos sobretudo seu perfil e seu projeto de pesquisa. Se o número de inscrições impedir uma entrevista com todos os candidatos e candidatas, algumas inscrições terão que ser rejeitadas pela simples leitura do projeto de pesquisa.

Projeto de pesquisa

O projeto de pesquisa não deverá ultrapassar 4000 palavras (algo em torno de 8 páginas, dependendo da formatação). Esse limite – que deve ser levado a sério – inclui notas de rodapé; mas não inclui a bibliografia preliminar. Ele deverá ser dividido nas seguintes partes:

  1. Delimitação do tema e estágio atual da discussão
    Todo tema, para que tenha algum interesse, deve ser, ao mesmo tempo, um problema, ou seja, algo sobre o qual há dissenso. A ideia desse tópico é justamente delimitar o tema e expor, de forma sucinta, o que já se discute sobre ele.
  2. Hipótese de trabalho
    Hipótese de trabalho é, em linhas gerais, a resposta provisória que o candidato oferece ao problema descrito no tópico anterior. Por ser uma hipótese, ela poderá ser confirmada ou negada ao longo da sua pesquisa.
  3. Metodologia
    No tópico metodologia, não se espera uma descrição da “forma de trabalhar”. Ou seja, não se espera que se diga que serão feitos leituras e fichamentos. O que se espera, nesse tópico, é que se deixe claro qual será o enfoque dado ao tema.
  4. Cronograma de execução
    Tópico com a previsão de tempo para a conclusão do trabalho. Não se trata de um cronograma detalhado, em tabela, com previsões mensais ou trimestrais que nunca são cumpridas. Trata-se apenas de uma ideia geral do que se pretende fazer em cada momento da pesquisa.
  5. Bibliografia preliminar
    Resultado da pesquisa feita ainda na elaboração do projeto. Essa bibliografia tem necessariamente que refletir uma pesquisa prévia consistente, de forma a que se possa perceber que o candidato tem familiaridade com as bibliografias nacional e estrangeira sobre o objeto de pesquisa, sobretudo com as publicações nos periódicos relevantes na área. Um projeto com bibliografia superficial tem poucas chances de sucesso. Observação importante: a bibliografia não inclui apenas os trabalhos citados no projeto, mas todos os livros selecionados na pesquisa bibliográfica prévia feita pelo candidato ou pela candidata. Não economize energias nessa pesquisa, suas chances no processo seletivo dependem muito da qualidade da sua bibliografia.